CEMITÉRIO DO BONFIM: arte, história e patrimônio – debate sobre uma experiência

Marcelina das Graças de ALMEIDA

Resumo


O Cemitério do Bonfim, situado na cidade de Belo Horizonte, para além do cumprimento de suas funções habituais ligadas ao culto aos mortos tem despertado cada vez o interesse para o seu potencial turístico e concomitantemente como espaço educativo. O habito de ministrar aulas específicas utilizando o espaço fúnebre vem sendo, recorrentemente, praticado pelos docentes da Escola de Design da Universidade do Estado de Minas Gerais, ocasião em que atividades de pesquisa se concretizam em disciplinas diversas que são ministradas para os cursos de Design Gráfico, Design de Produto, Design de Ambientes e Licenciatura em Artes Visuais. O objetivo destas aulas, além da coleta de material e investigação acadêmica é o exercício de atividades que conduzam à  educação patrimonial. Esta prática vem, desde junho de 2012, se estendendo a outros segmentos da sociedade belorizontina através da ação extensionista que, em parceria com Fundação de Parques Municipais, FPM e o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico, IEPHA, visitas mensais ao cemitério com o intuito de instigar e despertar o interesse para este tipo de turismo e ao mesmo tempo promover a educação patrimonial. Estas atividades têm, a cada dia, incrementado, de modo considerável a visibilidade naquilo que se refere ao cemitério e consequentemente tem possibilitado necessidade de ampliação do conhecimento do acervo e  história daquele lugar, resultando na abertura de novos campos de pesquisa e investigação para os pesquisadores. Percebe-se que as atividades turísticas e a reabilitação do espaço cemiterial podem resultar em experiências diversificadas que promovam a preservação do espaço, integrando áreas de conhecimento como história, artes visuais, arquitetura, turismo, design dentre outras, além de fomentar admiração dos turistas e sensibilizar o poder público e privado para promoção de ações de zelo pelo patrimônio histórico e cultural que ali se encontra abrigado.


Referências


ALMEIDA, Marcelina das Graças de. Morte, Cultura, Memória: Múltiplas Interseções – Uma interpretação acerca dos cemitérios oitocentistas situados nas cidades do Porto e Belo Horizonte. 2007. 404 f. Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Minas Gerais.

____. Fé na Modernidade e Tradição na Fé: a Catedral da Boa Viagem e a Capital. 1993. 138 f. Dissertação (Mestrado em História) - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Minas Gerais.

____. A Catedral da Boa Viagem: Fé, Modernidade e Tradição. In: DUTRA, Eliana de Freitas (org.) BH Horizontes Históricos. Belo Horizonte: C/ARTE Editora, 1996.

____. Artistas Construtores de Belo Horizonte. REUNIÃO ANUAL SBPC, 49ª, 1997. Belo Horizonte. Anais - Conferências - mesas - Redondas – Simpósios.Belo Horizonte: Imprensa Universitária, 1997.p.9-10

_______.Belo Horizonte, Arraial e Metrópole: memória das artes plásticas na capital mineira. In. RIBEIRO, Marília Andrés e SILVA, Fernando Pedro da. (org.) Um Século de História das Artes Plásticas em Belo Horizonte. Belo Horizonte: Editora C/ARTE / Fundação João Pinheiro / Centro de Estudos Históricos e Culturais, 1997. Coleção Centenário.

____. Os artesãos da morte In. XI ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA, 1998, Uberlândia. Anais. Uberlândia: UFU, 1998, p. 403.

____ . O espaço da morte na capital mineira: um ensaio sobre o Cemitério de Nosso Senhor do Bonfim. Revista de História Regional. Ponta Grossa, n. º 2 v.3, Inverno 1998, p.187-191.

____. O Cemitério do Bonfim: a morte na capital mineira. LOCUS Revista de História. Juiz de Fora, n. º 2, v. 4 , 1998, p. 131 – 142.

____. O Cemitério do Nosso Senhor do Bonfim de Belo Horizonte: espaço da morte – espaço de cultura In. SEMINÁRIO INTERNACIONAL DIMENSÕES DA HISTÓRIA CULTURAL, 1999, Belo Horizonte. Atas. Belo Horizonte: Unicentro Newton Paiva, 1999, p. 179-180.

____. Memórias, lembranças, imagens: o cemitério.Estudos Ibero-Americanos. PUCRS, v.XXX, n.1,p.105-122, junho 2004.

____. Morte, cultura, memória-múltiplas interseções-uma abordagem acerca do Cemitério do Nosso Senhor do Bonfim de Belo Horizonte. In: Caderno de Resumos e Programação XIV ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA – ANPUH/MG. Juiz de Fora: Campus da UFJF, 25 a 30 de julho de 2004.p.94

___. O cemitério do Nosso Senhor do Bonfim:controle e ordenação da morte nos primórdios da capital mineira.Revista Eletrônica do Arquivo Público da Cidade de Belo Horizonte. Belo Horizonte, nº 1, v. 1,1ª ed, p. 26-58. Disponível em: Data de acesso: 15 de maio de 2014.

____. PROJETO DE EXTENSÃO Passeio pelo Bonfim - visitas guiadas RELATÓRIO 2012/2013. Belo Horizonte: Escola de Design/UEMG, 2013.

_____. Cemitério do Bonfim: Arte, História e Educação Patrimonial RELATÓRIO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DAS ATIVIDADES DURANTE O ANO DE 2014. Belo Horizontes: Escola de Design/UEMG, 2015.

ASSMANN, Aleida. Espaços da recordação Formas e transformações da memória cultural.Campinas/SP: Editora da UNICAMP,2011.

AZEVEDO, Flavia Lemos Mota de, PIRES, João Ricardo Ferreira e CATÃO, Leandro Pena. (org) Museu Cidadania, Memória e Patrimônio as dimensões do museu no cenário atual.Belo Horizonte: Crisálida Livraria e Editora,2009.

BARRETO, Abílio. Bello Horizonte Memória Histórica e Descriptiva. Bello Horizonte: Imprensa Official de Minas Geraes, 1928.

_______________ . Bello Horizonte Memória Histórica e Descriptiva História Antiga e Média. Bello Horizonte: Edições da Livraria Rex, 1936. 02 volumes

________________ . Belo Horizonte Memória Histórica e Descritiva História Média. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro, Centro de Estudos Históricos e Culturais, 1995.

BARRETO, Abílio. Resumo Histórico de Belo Horizonte (1701-1947). Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1950.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. Campinas, Editora da UNICAMP, 1990.

PELEGRINI, Sandra C. A, NAGABE, Fabiane e PINHEIRO, Áurea da Paz. Turismo & Patrimônio em tempos de globalização. Campo Mourão: Editora da FECILCAM, 2010.

PINHEIRO, Áurea da Paz e PELEGRINI, Sandra C. A. (org.) Tempo, Memória e Patrimônio Cultural. Teresina: EDUFPI, 2010.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.