EDUCAÇÃO PATRIMONIAL E A CIDADE: TRÊS INSTRUMENTOS PARA ENSINAR E APRENDER A VER A PAISAGEM URBANA

Rachel de Sousa VIANNA

Resumo


Esse trabalho apresenta os resultados de uma pesquisa que investigou a eficácia de três instrumentos para ensinar e aprender a ver a paisagem urbana. Desenhados a partir de pesquisa bibliográfica, esses três instrumentos – Notação Urbana, Avaliação Visual e Pesquisa de Preferência Visual – foram adaptados para analisar a Avenida Bandeirantes, localizada na Região Centro Sul de Belo Horizonte, em Minas Gerais. O trabalho de campo foi feito com sessenta estudantes de sétima e oitava séries de uma escola particular. A metodologia de investigação adotou um formato quase-experimental, com a aplicação de pré-teste e pós-teste. Os resultados indicam que todos os três instrumentos tiveram um impacto positivo na capacidade de perceber a paisagem urbana. Baseado nos resultados da pesquisa, esse trabalho aponta algumas direções para incorporar a cidade como objeto de estudo da educação patrimonial.


Referências


ADAMS, E. Aprendendo a ver. In: BARBOSA, A. M. (Org.).Tópicos utópicos. Belo Horizonte: C/Arte, 1998, p.126-135.

______. Art and the built environment: a framework for school programs. In: GUILFOIL, J.; SANDLER, A. (Eds.). Built environment education in art education. Reston, VI: The National Art Education Association, 1999, p.184-193.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais (Terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental): arte. Brasília: MEC / SEF, 1998. 116 p. Disponível em: Acesso em: 4 agos. 2015.

_____. Parâmetros curriculares nacionais (Terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental): Temas transversais. Brasília: MEC / SEF, 1998. 436 p. Disponível em: Acesso em: 15 fev. 2016.

CHAPMAN, L. H. Preface. In: GUILFOIL, J.; SANDLER, A. (Eds.). Built environment education in art education. Reston, VI: The National Art Education Association, 1999, p.vi-vii.

CRARY, J. Suspensões da percepção: Atenção, espetáculo e cultura moderna. São Paulo: Cosac Naif, 2013.

DIAS, K. Entre visão e invisão: paisagem [por uma experiência do cotidiano]. Brasília (DF): Programa de Pós-Graduação em Arte/VIS/Universidade de Brasília, 2010.

ERIKSEN, A.; SMITH, V. Art Education and the Built Environment. Art Education, v;31, n.5, p.4-8, 1978.

GOMES, P. C. C. O lugar do olhar: elementos para uma geografia da visibilidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

GRAVES, G. W. Curriculum evaluation: One approach for assessing built environment education in the classroom. n: GUILFOIL, J.; SANDLER, A. (Eds.). Built environment education in art education. Reston, VI: The National Art Education Association, 1999, p.194-209.

GRUNBERG, E. Manual de atividades práticas de educação patrimonial. Brasília, DF: IPHAN, 2007.

HALL, P. Environmental education in urban areas. Londres: DoE, 1979.

HORTA, M. L.; GRUNBERG, E. ; MONTEIRO, A. Q. Guia básico de educação patrimonial. Brasília (DF): IPHAN / Museu Imperial, 1999.

LADD, F. C. Black youths view their environment: neighborhood maps. Environment and Behavior,v. 2, n. 1, p. 74-99, June 1970.

LYNCH, K. The image of the city. Cambridge, MA: The M.I.T. Press,1960.

______. Site planning. Cambridge, MA: The M.I.T. Press, 1971.

______. Growing up in cities: studies in the spatial environment of adolescence in Cracow, Mexico City, Salta, Toluca, and Warszwa. Cambridge, MA: The M.I.T. Press, 1977.

MACDONALD, S. Strategies for sustainable creativity. In: GUILFOIL, J.; SANDLER, A. (Eds.). Built environment education in art education. Reston, VI: The National Art Education Association, 1999, p.210-219.

MCFEE, J. K..;DEGGE, R. M. Art, culture, and environment: a catalyst for teaching. Belmont (CA): Wadsworth Publishing Company, Inc., 1977.

MINAS GERAIS. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais. Manual: diretrizes para a educação patrimonial. Belo Horizonte: IEPHA, 2009. Disponível em: Acesso em 10 abril, 2014.

PRAK, N. L. The visual perception of the built environment. Delft, The Netherlands: Delft University Press, 1977.

RAPOPORT, A. Human aspects of urban form: Towards a man-environment approach to urban form and design. Oxford: Pergamon Press, 1977.

RAPOSO, H. Avenida Bandeirantes; Uma análise espacial. Caderno de Arquitetura e Urbanismo, n. 2, p. 149-164, ago. 1994.

SANOFF, H. Visual research methods in design. New York: Van Nostrand Reinhold, 1991.

RILEY, R.B. The visible, the visual and the vicarious: Questions about vision, landscape and experience. In: GROTH, P.; BRESSI, T.W. (Eds.). Understanding ordinary landscapes. New Haven, CT, and London: Yale University Press, 1997.

SOARES, A. L. R. Curso de educação patrimonial. Belo Horizonte: IEPHA, 2009.

VELÁZQUEZ, J. R. M. An empirical and interdisciplinary test of a theory of urban perception. Unpublished doctoral dissertation, University of California, Irvine, 1978.

VIANNA, R. S. Art education and urban aesthetics. Leonardo, v.35, n.3, pp. 255-261, 2002.

WARD, C.; FYSON, A. Streetwork: the exploding school. London, Boston (MA): Routledge & Kegan Paul Ltd, 1973.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.