CAPA | EDIÇÕES | BUSCA | SUBMISSÃO | SOBRE | CONTATO
       FÓRUM | Patrimônio e Novas Mídias: Digitalização e Geoprocessamento - Vol. 2, Nº. 1 (2009)  
 

ARTIGO

UM CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO DO PATRIMÔNIO ARQUITETÔNICO




1. O PATRIMÔNIO ARQUITETÔNICO DA BAHIA – CIDADES HISTÓRICAS

O Estado da Bahia possui um dos mais ricos patrimônios histórico, artístico e cultural do Brasil. Dentro desse imenso acervo, destacam-se os núcleos urbanos e sua arquitetura, que incorporam significativos conjuntos de bens móveis e integrados de suma importância para a história da arte Luso-brasileira. Como destaque, a Bahia detém, em seu território, um conjunto de núcleos urbanos preservados que perpassam os cinco séculos da história do “Novo Mundo”, fruto dos diversos momentos políticos, econômicos e sociais que forjaram o país, a exemplo do primeiro momento de posse e conquista do território - Porto Seguro, Santa Cruz de Cabralia, Trancoso e Salvador; do ciclo da cana-de-açúcar e do tabaco - Cachoeira, São Felix e Maragogipe; do ciclo do ouro no século XVIII - Jacobina e Rio de Contas; do ciclo do diamante no século X - Lençóis, Mucugê e Igatu. Geograficamente, estas povoações cobrem as áreas do litoral, do Recôncavo Baiano e da Chapada Diamantina.
 
Todo este magnífico acervo, extremamente importante para a identidade brasileira, tem passado, ao longo das últimas décadas, por diversas ações de preservação (tombamento, obras), sem que estas tenham garantido a conservação mais efetiva desses bens, seja por falta de recursos humanos e financeiros, seja por falta de uma política de planejamento estratégico que articule os diversos agentes da sociedade em prol de uma participação democrática.
 
Mais do que nunca se faz necessário reforçar a integração das três esferas de poder (Federal, Estadual e Municipal) e setores da sociedade civil que lidam com as questões relativas à preservação do patrimônio cultural, para que se possa garantir ações mais eficazes na recuperação física, econômica e social desses núcleos urbanos. É consenso para todos que lidam com a preservação de bens culturais, os desafios que são colocados no enfrentamento dessa tarefa, principalmente quando estão inseridos na esfera do urbano, seja pela multi-disciplinaridade que envolve as áreas, seja pela diversidade dos núcleos, tanto na dimensão física e populacional, como na econômica e social.
 
Na perspectiva de somar esforços, estabelecer parcerias e retomar uma tradição de trabalho conjunto entre as instituições responsáveis pela preservação dos bens culturais na Bahia, é que a Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia pensa na criação de um Centro de Documentação do Patrimônio Arquitetônico e de Bens Integrados, que busque aliar a tradição dos trabalhos de registro documental dos monumentos com as novas tecnologias disponíveis ou em desenvolvimento, tomando como princípio que a primeira ação para salvaguarda dos bens culturais é a sua documentação. 
 

2. A EXPERIÊNCIA DA FAUFBA

 
A criação do Centro de Documentação pela Faculdade de Arquitetura, vem somar uma larga tradição que esta instituição tem no trato das questões vinculadas à Historia da Arquitetura e da Cidade, e do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Algumas atividades desenvolvidas pela FAUFBA ao longo de sua trajetória permitem credenciá-la na liderança do processo de formulação e implantação do referido Centro de Documentação:
 
- As iniciativas pioneiras nos anos sessenta do CEAB - Centro de Estudos da Arquitetura da Bahia, no estudo da evolução urbana de algumas cidades brasileiras e em projetos de preservação de diversas áreas urbanas e territoriais de interesse histórico, cultural e paisagístico do Estado Bahia.
 
- As edições do CECRE - Curso de Especialização em Conservação e Restauração de Monumentos de Conjuntos Históricos, sediado na Bahia desde 1981 e com o apoio do IPHAN e da UNESCO, responsável nas últimas décadas pela formação da maioria dos profissionais que atuam no Brasil e América Latina na área da preservação. O CECRE tem ainda possibilitado a formação de um rico acervo de projetos arquitetônicos e urbanos do Brasil e da América Latina, material que se encontra disponível na FAUFBA.
 
- O Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (mestrado e doutorado), responsável por inúmeras pesquisas, dissertações e teses voltadas para a área da preservação do patrimônio histórico artístico e cultural, e que tem a sua área de concentração em Conservação e Restauração, único no Brasil, o nível de excelência.
 
- Os recentes esforços (pesquisas, cursos, seminários, trabalhos de campo, etc) do LCAD - Laboratório de Computação Gráfica Aplicada à Arquitetura e ao Desenho - para o desenvolvimento e apropriação de tecnologias digitais que buscam aprimorar e agilizar o registro documental de bens arquitetônicos e integrados.
 

3. ESFORÇOS RECENTES PARA APROPRIAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS

 
A partir do início dos anos 90, do século passado, é implantado na FAUFBA o Laboratório de Computação Gráfica Aplicada à Arquitetura e ao Desenho, que passa a se ocupar do ensino, da pesquisa e da difusão das tecnologias computacionais nas várias áreas da Arquitetura e do Urbanismo. Paulatinamente, as tecnologias digitais foram sendo incorporadas às práticas cotidianas dos cursos e dos trabalhos realizados no âmbito deste Laboratório. Assim, foram agregados os editores de desenho vetoriais, os modeladores tridimensionais, as ferramentas para síntese de imagem, as tecnologias de geoprocessamento, os sistemas hipermídia, dentre vários outros recursos. Nos últimos anos têm-se desenvolvido um esforço na apropriação da Fotogrametria Digital, e mais recentemente nas tecnologias digitas por varredura à laser (3D Laser Scanning), para o levantamento de imóveis, instalações industriais e mesmo de objetos.  
 
Com este objetivo, foi formulado e iniciado o projeto de pesquisa DIGIFOTO – Aplicações da Fotogrametria Digital na Arquitetura e no Urbanismo / Documentação do Patrimônio Arquitetônico de Lençóis. Este projeto conta com o apoio do CNPq e tem como objetivo: a apreensão, o uso e a divulgação desta tecnologia pela FAUFBA, o que tem sido desenvolvido através de pesquisas aplicadas, estudos de caso, difusão tecnológica, etc. Esta iniciativa tem sido bem sucedida, conforme demonstram os diversos trabalhos realizados e listados adiante. Ainda neste âmbito, foi realizado no período de 13 a 23 de maio de 2004, em Salvador e em Lençóis, o workshop e ciclo de palestras sobre Patrimônio Arquitetônico e Tecnologias Computacionais, constando de dois ciclos de palestras e da realização de trabalhos de campo na Chapada Diamantina. O evento reuniu mais de 300 participantes entre professores, técnicos, estudantes e moradores da cidade de Lençóis.
 
Seguindo a mesma linha, pode-se citar também a 1st International Conference on 3D Laser Scanning Technologies for Heritage Documentation, realizada no período de 26 a 31 de julho de 2004 em Salvador, constando da conferência internacional, de um curso introdutório sobre a tecnologia de varredura à laser para levantamento de imóveis e de trabalhos práticos em campo realizados no Terreiro de Jesus e no interior da igreja de São Francisco (Salvador-BA). O evento reuniu cerca de 100 participantes entre professores, pesquisadores, profissionais e estudantes, inclusive do exterior e de fora do estado.
 
A seguir, estão listados alguns trabalhos realizados nesta área pelo LCAD:
 
- Projeto Lençóis: documentação do patrimônio arquitetônico de Lençóis – BA, projeto que trata da documentação do patrimônio arquitetônico da cidade de Lençóis, Bahia, com o emprego de tecnologias digitais, a exemplo da Fotogrametria Digital, Modelagem Digital de Terreno, Modelagem Geométrica Tridimensional e Sistemas de Informações Geográficas. O projeto está em fase de desenvolvimento e já foram obtidos os seguintes produtos: levantamento fotográfico, ortofotos e restituições das fachadas das edificações, perfis de algumas quadras, cadastro de edificações, modelos geométricos simplificados do sítio e de quadras.
 
- Levantamento cadastral e produção da documentação arquitetônica do casarão onde funciona o DCE - Diretório Central dos Estudantes da UFBA. O trabalho foi concluído, tendo sido realizado através de várias técnicas. Adotou-se a medição direta para o cadastro das plantas baixas e cortes, e a Fotogrametria Digital - através das técnicas de restituição a partir de várias fotos e monorestitiuição - para o levantamento e restituição das fachadas e detalhes arquitetônicos, respectivamente. Obteve-se os seguintes produtos: ortofotos, desenhos, modelo geométrico tridimensional.
 
- Criação do modelo geométrico tridimensional fotorrealístico da Capela de Nossa Senhora da Escada (Salvador-BA), monumento tombado pelo IPHAN, de grande relevância histórica e cultural para a Bahia e para o Brasil, uma vez que foi construída em meados do século XVI. O trabalho foi desenvolvido com o emprego de diversas técnicas de levantamento, como a medição direta, e a fotogrametria digital, com apoio topográfico. Foi possível obter diversos produtos, como os modelos geométricos tridimensionais em wireframe e fotorrealístico (Figura 1a) e as ortofotos (Figura 1b), bem como avaliar a precisão dos resultados obtidos a partir do controle topográfico.
   
                                         (a)                                                                (b)
FIGURA 1 – Produtos obtidos pela restituição da Capela de Nossa Senhora da Escada: (a) modelo geométrico tridimensional fotorrealístico; (b) ortofoto
 
- Restituição fotogramétrica dos retábulos das Virgens Mártires e dos Santos Mártires da Catedral Basílica de Salvador - únicos vestígios remanescentes das igrejas quinhentistas baianas dos jesuítas, franciscanos, beneditinos e carmelitas. Adotaram-se técnicas fotogramétricas para a produção das fotos retificadas e dos desenhos, por se tratar de objetos ricos em detalhes e de grandes dimensões. Foi possível obter os produtos desejados a partir de uma única foto tomada próximo ao eixo ortogonal do plano principal de cada retábulo, devido às suas características físicas: pequenas variações de profundidade e extremidades com formas geométricas retangulares (arestas paralelas e perpendiculares).
 
- Restituição fotogramétrica digital da fachada da antiga Biblioteca Pública situada na Praça Municipal (Salvador), a partir de uma fotografia histórica da década de 30. Foi realizada a retificação da foto através do Photomodeler 4.0, e a vetorização feita em um editor gráfico vetorial para a geração do desenho da fachada.
 
- Levantamento da fachada de uma edificação da FAUFBA através de diferentes técnicas: medição direta, fotogrametria (PhotoModeler) e correção geométrica em editor raster (Paint Shop Pro). Os desenhos obtidos nessas técnicas foram sobrepostos para permitir uma avaliação da precisão dos métodos adotados.
 

4. O CENTRO: CARACTERIZAÇÃO E OBJETIVOS

 
Através dos interesses comuns da Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia, da Superintendência Regional da Bahia do IPHAN e do IPAC, pelas questões que envolvem a documentação e a preservação do patrimônio arquitetônico de interesse histórico e cultural no Estado da Bahia, estas instituições resolvem de comum acordo criar um centro de excelência para atuar na documentação arquitetônica de imóveis com o auxílio de tecnologias digitais e atividades correlatas, que se pautará segundo objetivos explicitados adiante. 
 

Considerando as finalidades da UFBA de atuar no ensino, na pesquisa e na extensão, e sendo a FAUFBA possuidora de uma larga tradição nas questões ligadas à História da Arquitetura e ao Patrimônio Arquitetônico, é natural que o centro de documentação seja abrigado nas suas instalações com o apoio do IPHAN e do IPAC, sendo gerido por um Conselho Deliberativo formado por quatro membros: pelo seu Coordenador Executivo, por um representante da Faculdade de Arquitetura da UFBA, por um representante da Superintendência Regional do IPHAN e por um representante do IPAC. Definidas as prioridades para os levantamentos das áreas e das edificações de interesse pelas três instituições parceiras e viabilizados os recursos para a realização de tais empreendimentos, o Centro estaria encarregado de produzir a documentação correspondente.

Assim, são objetivos do Centro:
 
- atuar na documentação arquitetônica dos imóveis de interesse histórico-cultural do estado da Bahia, com ênfase no emprego de tecnologias digitais de ponta;
 
- contribuir para a formação de pessoal técnico especializado no uso de tecnologias para a documentação arquitetônica de imóveis, através da promoção de cursos de formação e de aperfeiçoamento, além de proporcionar oportunidades de estágio e treinamento;
 
- desenvolver técnicas, processos e métodos de trabalho para as áreas de sua competência, a partir do estudo, pesquisa e experiência adquirida no desenvolvimento dos trabalhos;
 
- difundir o uso das tecnologias digitais relacionadas à documentação do patrimônio arquitetônico, através da promoção e da participação em seminários, simpósios, congressos, exposições e atividades correlatas;
 
- colaborar para o suporte das ações e iniciativas da UFBA relacionadas ao ensino, à pesquisa e à extensão nas áreas de atuação do centro de documentação.
 

5. AS TECNOLOGIAS DIGITAIS

Sob o aspecto das tecnologias utilizadas, o Centro estará estruturado em torno da pesquisa, da aplicação, da difusão de tecnologias digitais de ponta para o levantamento, o processamento, o armazenamento e a divulgação deste acervo arquitetônico.
 
Dentre as principais tecnologias para o levantamento e o processamento dos dados provenientes dos acervos arquitetônicos, destacam-se a Medição Direta, a Modelagem Geométrica Tridimensional, a Fotogrametria Digital, o 3D Laser Scanning, os Sistemas de Informações Geográficas e os Sistemas Hipermídia.

5.1. Medição Direta 

A técnica de Medição Direta consiste na elaboração de croquis (ou esboço) dos objetos a serem levantados, sobre os quais são anotadas as grandezas angulares e lineares correspondentes.
 
Apesar da medição direta ser tradicionalmente executada com o auxílio de instrumentos simples de medição linear (trenas, escalas), de dispositivos de controle da verticalidade (fios de prumos de face e de centro) e da horizontalidade (níveis de mangueira e de pedreiro), o Centro de Documentação tem a intenção de trabalhar com instrumentos de medição automatizados. Esses instrumentos, como as trenas e os goniômetros eletrônicos, apresentam algumas vantagens em relação aos recursos convencionais: facilidade para a leitura e registro dos dados, precisão e velocidade na aquisição dos dados.

5.2. Modelagem Geométrica Tridimensional

Os modelos geométricos tridimensionais representam uma poderosa forma de registro, pois permitem a visualização dos objetos em diversas escalas e níveis de detalhamento, podendo ser usados em programas de “renderização”, simulação, animação e realidade virtual.
 
Os modelos geométricos tridimensionais podem ser obtidos de duas formas principais: a partir de modeladores tridimensionais ou a partir de programas para Fotogrametria Digital. A primeira forma é baseada em programas de modelamento genéricos como o AutoCAD ou o MicroStation ou em programas dedicados como o ArchiCAD e o Arqui_3D. Esses programas são mais empregados em situação de projeto, ou para a criação de modelos geométricos 3D aproximados (de extensas áreas urbanas). Quando se deseja obter modelos de edificações e de espaços urbanos existentes de maneira fotorrealística, os modeladores tridimensionais não são as ferramentas mais apropriadas para este fim, uma vez que esses programas necessitam não apenas do cadastro dos elementos a serem modelados (tarefa difícil em se tratando de ambientes complexos e de grande dimensões), como também o modelamento manual de todos os detalhes de interesse dos objetos. Nesses casos, pode-se empregar a Fotogrametria Digital para a criação dos modelos fotorrealísticos ou mesmo para a criação das texturas (fotos corrigidas) a serem aplicadas nos modelos simplificados produzidos através dos modeladores tridimensionais.
 
Os modelos geométricos tridimensionais fotorrealísticos permitem uma documentação mais versátil e completa da edificação. As edificações históricas contêm muitas informações importantes de cores, como mosaicos, painéis, afrescos e pinturas. A documentação não deve estar restrita à captura da geometria tridimensional da edificação, mas deve também incluir informações contidas nas fotografias, tais como cores e texturas. Assim, é possível aumentar o realismo do modelo e registrar um número maior de detalhes, como os elementos decorativos, o estado de conservação e os problemas estruturais da edificação.
 

5.3. 3D Laser Scanning

O 3D Laser scanning, também conhecido como High Definition Survey (HDS) ou sistema de levantamento por varredura à laser constitui a mais moderna e poderosa ferramenta para a aquisição e tratamento de dados para levantamento de edificações.
 
 
FIGURA 2 – Nuvem de pontos da Igreja de São Francisco (Salvador-BA)
 
 
O sistema 3D Laser Scanner funciona basicamente da seguinte forma: os dados coletados pelo scanner (geralmente fixado em um tripé) são transferidos imediatamente para um computador, o qual possui um software específico para o processamento dos sinais emitidos e capturados, de modo a determinar no espaço a posição de cada um dos pontos a partir dos quais os raios são refletidos. Este conjunto de pontos levantados constitui um modelo geométrico das partes do objeto expostas à varredura e é denominado de “nuvem de pontos” (Figura 2).
 
Este modelo representa o nível mais básico de visualização dos dados amostrados por varredura. Há vários métodos empregados para transformar a nuvem de pontos em outros produtos. É possível ajustar primitivas tridimensionais (ex: planos, cilindros e esferas) à nuvem de pontos ou representar os objetos através de uma superfície (malha triangular) envoltória, no caso de formas irregulares e complexas.
 
Esta tecnologia deve ser empregada para a documentação de edificações complexas, como é o caso do interior das igrejas barrocas da Bahia, devido à precisão e ao registro de grande quantidade de informação em curto espaço de tempo.

5.4. Fotogrametria Digital

A Fotogrametria é uma técnica que permite extrair das fotografias, as formas, as dimensões e as posições dos objetos. A Fotogrametria Digital representa uma poderosa técnica para documentação do patrimônio, uma vez que apresenta uma série de vantagens com relação às formas tradicionais de levantamento, dentre as quais podem ser citados: redução de custos, rapidez, precisão e flexibilidade.
 
A representação da forma dos objetos (ex: fachadas de edificações, espaços urbanos e detalhes arquitetônicos), geometricamente correta e precisa, incluindo grandezas lineares e angulares, pode ser feita apenas com a utilização de uma câmara fotográfica - digital, de vídeo, métrica, ou mesmo máquina fotográfica comum - e uma posterior restituição fotogramétrica via computador, realizada por um software específico.
 
A Fotogrametria Digital permite a restituição de diversos tipos de objetos - detalhes, edificações e conjunto de fachadas - de diferentes tamanhos e níveis de complexidade e obtenção de uma série de produtos - ortofotos, desenhos e modelos tridimensionais fotorrealísticos – precisos e com a utilização de recursos de fácil acesso e de baixo custo, diferentemente da Fotogrametria analógica e analítica. Além disso, a Fotogrametria Terrestre Digital pode ser empregada pelo próprio profissional de arquitetura e engenharia, através do treinamento em Fotogrametria e na ferramenta para restituição digital.
 
O programa para Fotogrametria Digital utilizado nos diversos experimentos foi o PhotoModeler, ferramenta que permite a obtenção de uma série de produtos a partir de fotografias tomadas dos objetos e que trabalha com dois tipos de restituição: monorestituição (restituição a partir de uma única foto) e restituição a partir de várias fotografias (fotos tomadas de diversos ângulos e níveis de aproximação). Essas duas técnicas estão restritas à restituição de formas que apresentem pontos facilmente identificáveis, seja através de feições naturais (vértices de uma parede, moldura de uma janela, etc.) ou criadas artificialmente (através da fixação de marcas de sinalização). Para a restituição de objetos curvos e em relevo, recomenda-se o emprego da estereorestituição ou do 3D Laser Scanning.

5.5. Sistemas de Informações Geográficas

Os Sistemas de Informações Geográficas[1](SIG), são sistemas informatizados, interativos e poderosos, dotados de sofisticados recursos gráficos e orientados para a aquisição, o armazenamento, o processamento e a análise de informações sobre entidades de expressão espacial (ou seja, aquelas em que a localização, forma, posição e conectividade são relevantes). Estes sistemas são empregados no monitoramento, na análise e na gestão de informações sobre o meio físico natural ou antropizado, sendo amplo o espectro das suas aplicações, como: urbanismo, redes de utilidades, transportes, meio ambiente, agricultura, geologia.
 
No presente contexto, propõe-se o emprego do SIG como ferramenta de apoio à gestão e à tomada de decisão dos centros históricos, permitindo auxiliar em diversas atividades relativas à área delimitada pelo sistema, que vão desde o planejamento, projeto, operação, controle, monitoramento, até o gerenciamento da documentação cadastral (fotografias, restituições, modelos geométricos tridimensionais, mapas temáticos, desenhos diversos, etc).

5.6. Sistemas Hipermídia

A hipermídia em ambiente web[2]é uma das tecnologias mais versáteis propiciadas pela Ciência da Computação. A hipermídia pode ser caracterizada por um conjunto de informações digitais, de várias naturezas, integradas em um ambiente computacional, e que podem ser facilmente manipuladas pelo usuário. A navegação pela base de dados é realizada interativamente, o que possibilita a obtenção de uma série de informações de interesse do usuário de forma imediata.
 
Um sistema ou ambiente hipermídia representa uma extensão do conceito de hipertexto, que permite organizar objetos digitais de várias naturezas como: textos, fotos, desenhos, modelos, sons e vídeos, através de nós conectados entre si por elos. Estes sistemas permitem ao usuário navegar facilmente de uma fonte de informação para outra, que pode estar em forma de texto, gráfico, som ou imagem.
 
Através de interfaces adequadas e bases de dados modeladas e implementadas adequadamente, os usuários poderão acessar remotamente, via Internet, os mais variados tipos de dados sobre os centros históricos de seu interesse para as mais diversas finalidades.
 

6. CONCLUSÕES

Neste artigo, explicitou-se a conjuntura e as condições necessárias para a criação de um Centro de Documentação Arquitetônico de Imóveis na Bahia. O sucesso desta iniciativa está intimamente ligado à coesão que as três instituições parceiras venham a ter na consecução desses objetivos.
 
 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
 
AMORIM, A. L., PAZ, D. J. M. Aplicações da Fotomodelagem Digital em Arquitetura e Urbanismo (resumo). In: XX Seminário Estudantil de Pesquisa da UFBA, 2002, Salvador. Anais... Salvador: UFBA, 2002. v.I. p.205.
 
GROETELAARS, N. J. Um estudo da Fotogrametria Digital na documentação de formas arquitetônicas e urbanas. Salvador, 2004, 257f. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Arquitetura, Universidade Federal da Bahia.
 
GROETELAARS, N. J.; AMORIM, A. L. Levantamento Fotogramétrico Digital da Capela de Nossa Senhora da Escada (trabalho completo). In: SIGRADI 2004 - CONGRESSO IBEROAMERICANO DE GRÁFICA DIGITAL, 8., 2004, São Leopoldo. Anais... São Leopoldo: UNISINOS, 2004. CD-ROM.
 
GROETELAARS, N. J.; AMORIM, A. L. Técnicas de restituição fotogramétricas digitais aplicadas à Arquitetura: um estudo de caso (trabalho completo). In: COBRAC - CONGRESSO BRASILEIRO DE CADASTRO TÉCNICO MULTIFINALITÁRIO, 6., 2004, Florianópolis. Anais eletrônicos… Florianópolis: UFSC, 2004. CD-ROM.
 
GROETELAARS, N. J.; AMORIM, A. L. – Técnicas Digitais para Levantamento e Representação de Fachadas de Edificações (trabalho completo). In: GRAPHICA 2003: percepção, representação e ação sobre o mundo – XVI Simpósio Nacional de Geometria descritiva e desenho técnico, 16., 2003, Santa Cruz do Sul. Anais eletrônicos... Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2003. CD-ROM.

 

[1]O SIG é também conhecido como GIS - Geographic Information Systems.
 
[2]Neste contexto, web é sinônimo ou abreviatura da World Wide Web.
 
MENU DO ARTIGO
RESUMO
METADADOS
VERSÃO P/ IMPRESSÃO
VERSÃO PDF